Blog‎ > ‎

Disfunção Erétil: Causas Psicogênicas, Orgânicas, Diagnóstico e Tratamento

postado em 16 de jul de 2016 08:38 por Daniel Antunes Paiva   [ 16 de jul de 2016 08:44 atualizado‎(s)‎ ]

Prejuízos causados pela disfunção erétil

A disfunção erétil pode interferir na vida do indivíduo como um todo, causando impactos em sua qualidade de vida, relações interpessoais e afetivas, e até mesmo em sua capacidade laboral e produtividade. Embora diversas doenças possam causar a disfunção erétil, ela, em si, não é uma delas. Logo, não convém abordar a cura da disfunção erétil, mas sim os meios de manejar o problema e revertê-lo.

Associação entre problemas emocionais e a disfunção erétil

Antigamente costumava-se dizer que a disfunção erétil era causada unicamente por problemas emocionais. Como as causas orgânicas da disfunção erétil eram ainda desconhecidas, o culpado apontado era ou o estresse ou aspectos da relação do paciente com seu conjugue.

Evidentemente, todos os pacientes que apresentam disfunção erétil possuem uma parte emocional atrelada ao problema, porém, atualmente, com o avanço da medicina, é possível afirmar que o transtorno psicogênico é muito mais uma consequência da disfunção erétil do que propriamente sua causa.

Causas orgânicas da disfunção erétil

Existem muitos fatores de risco associados à disfunção erétil, tais como estresse, obesidade, falta de exercício físico, dieta não balanceada, aumento da pressão arterial, elevação da taxa de colesterol, aumento da glicemia (índice de glicose), tabagismo, consumo desregrado de álcool, drogas e medicamentos. Todos esses fatores podem acarretar um desequilíbrio orgânico e, consequentemente, levar à disfunção erétil. Logo, este problema é muito mais orgânico do que psicológico, porém, fatores emocionais também podem acabar interferindo e acabam agravando o problema.

Disfunção erétil causada por disfunção hormonal

É preciso diferenciar o paciente que apresenta alteração do desejo sexual daquele que possui a disfunção erétil propriamente dita. Pacientes com disfunção hormonal normalmente exibem uma diminuição da libido e outros sintomas como cansaço excessivo e alteração do sono. Estes pacientes costumam ter uma disfunção erétil decorrente da diminuição de seus níveis de testosterona.

No caso dos indivíduos que apresentem baixas dosagens de testosterona, é possível efetuar reposição hormonal. Embora o procedimento não ajude a melhorar sobremaneira a ereção, poderá aumentar consideravelmente o desejo sexual.

Como diagnosticar a disfunção erétil

O especialista em disfunções sexuais masculinas deve buscar descobrir qual é a causa orgânica do problema, para assim conseguir efetuar um tratamento adequado. Nesse contexto, há uma série de exames, como os de imagem (ultrassom, por exemplo) e de dosagens hormonais, que podem ser feitos para se obter um diagnóstico preciso.

Como tratar a disfunção erétil

Existem tratamentos feitos por via oral, injetáveis, e por aplicações intracavernosas. Também há cirurgias e, por fim, as famosas próteses penianas. Portanto, há uma extensa gama de tratamentos. Resta investigar qual deles é o mais adequado para cada paciente.

Evolução do tratamento da disfunção erétil

Os vasodilatadores sistêmicos proporcionaram uma grande evolução positiva no tratamento da disfunção erétil. Quando o Viagra surgiu, ele foi amplamente empregado. Posteriormente, foram lançados os chamados "primos" do Viagra. Hoje, já é possível adquirir esses medicamentos até mesmo em suas versões genéricas.

Embora seja impossível regressar o quadro e deixar o paciente com 18 anos de idade novamente, o objetivo dos tratamentos é fazer com que o homem tenha uma boa qualidade de vida e vá para uma relação sexual realmente confiante, ciente de que conseguirá satisfazer a parceira e apresentar um bom desempenho sexual.

Saiba tudo sobre a disfunção erétil acessando: http://disfuncaoeretil.net.br

Comments